Um vício chamado "Anavitória"


Oi gente. Tudo bem?
Sim, não escrevo aqui faz muito tempo e acreditem, senti muita falta, mas em minha defesa posso admitir que estava passando por uma fase conturbada e de novas descobertas, por algum motivo não consegui encaixar o blog nessa fase. Não que isso seja ruim, pois consegui formular novos objetivos pra mim e para o blog e isso vai ser um novo desafio de fato.
Contudo, não estou aqui só pra falar desses detalhes e sim confessar o quanto estou viciada nas músicas, nas vozes e todo o conjunto das moças da dupla "Anavitória".
Fazia um bom tempo que não colocava uma música ou varias pra repetir mais de dez vezes seguidas e isso é algo a ser observado e talvez estudo.


Pode ser essa nova fase ou somente a Priscila "romântica" florescendo novamente.
Depois de um ano bem conturbado (sem muitos detalhes por hora), acredito que tudo esta voltando a normalizar da melhor forma possível e estou feliz com isso.
Enquanto escrevo esse texto escuto pela milésima vez a música "Singular" das meninas...


Tentar descrever essa letra seria ousadia da minha parte, pois acho que ela fala por si só, então se ainda não ouviu, esta é a hora!

Havia escutado alguma música delas em algum momento de desatenção faz alguns meses e em um show que fui do Tiago Iorc essa semana tocaram varias músicas delas antes dele entrar no palco e fiquei chocada por não saber quem estava cantando, por sorte minha amiga Lorena e uma colega que conhecemos no show finalmente me disseram quem eram e fiquei fascinada com cada uma das músicas, me levando para um momento de reflexão conturbado (no meio de uma multidão de gente e passando muito calor), conclui que precisava ouvir novamente e mais vezes e foi o que eu fiz assim que cheguei em casa.

Na sequência de "Singular" veio a "Trevo (Tu)" que tem participação do Tiago (minha paixão) Iorc...


E assim não consegui parar mais e fico feliz por não ter conseguido.
Depois da tranquilinha "Tua"...


Finalmente ouvi "Nós"...


E foi ai que descobri minha música favorita delas, era ela, tão simples e tão apaixonante.
Sabe aquela música que te faz pensar em alguém e sorrir, foi essa pra mim.
Ela simboliza momentos bons, coisa boas, mas que não são permanentes sabem?
Não que seja ruim, acho que tudo que foi bom significa que foi bom, por mais que tenha tido um fim acho que a gente deve guardar só as lembranças boas, os outros detalhes ficam no passado e isso tira um peso danado dos pensamentos sobre o que não deu certo e por qual motivo não deu certo, isso deixa de fazer importância a partir do momento que aceitamos que tem que ser assim.


E como não parar pra pensar como uma música pode trazer tantas coisas boas e reflexões intensas que estão rendendo um dos maiores posts desse blog?

Bom, com todo esse mundo de emoções depois de uma música, continuei ouvindo as outras, é claro depois de colocar pra repetir "Nós" mais algumas vezes veio a doce "Cor de Marte"...


Parece até que a sequência das músicas estava programada pra depois de agitar meus sentimentos e pensamentos, vir uma música calma, só pra mudar o rumo das coisas.
Logo depois surgiu "Dengo"...


E assim descobri a minha segunda música favorita delas.
Essa simboliza esse último ano todo, no qual eu realmente não soube "amarrar um outro nó com alguém..." e não, não vou contar minhas "bads", pelo o menos não nesse post.
Como digo para todos que me perguntam sobre os meus romances, realmente eles dariam ótimos livros e acreditem, longos livros.

Então antes que alguém pense que tudo isso foi uma indireta para alguém, pare!
Isso tudo é sobre o meu vício chamado "Anavitória".


E para selar tudo, "Agora eu quero ir"!

Beijo!


6 comentários: